quinta-feira, 26 de março de 2009

SCARLETT JOHANSSON - “L’anti Marilyn”?


Nas publicações de moda e nas campanhas publicitárias, Scarlett Johansson realimenta a imagem da qual afirma querer livra-se: "imagem de bombshell das loiras icônicas como (…) a Marilyn Monroe”. Na capa da Vogue Paris de abril apresenta Scarlett como “L’anti Marilyn", mas embora a atriz não apareça loira, está mais Marilyn do que nunca.



( vou falar sobre essa campanha)

quarta-feira, 25 de março de 2009

"MIDIA GRATUITA"


Quando a W/BRASIL lançou a campanha G2B-Porque a terra é azul, no intervalo do Fantástico, estava apenas estrategicamente agregando a marca Grendene a um compromisso social - no caso a preservação ambiental, através do consumo consciente de água. Uma trilha mercadologicamente previsivel, uma vez que que empresas socialmente responsáveis são mais respeitadas pelo consumidor. Mas ao vestir o corpo nu de Gisele Bundchen com um vestido de água, a campanha tornou-se pauta na mídia impressa e eletrônica de todo o planeta, graças ao prestígio internacional da top e ao ineditismo dos recursos utilizados. Essa campanha é um excelente exemplo de proganda gratuida, exemplo de que propaganda boa é aquela que sai dos espaços midiáticos e ganha o mundo. O vestido de água alimentou conversas nas universidades de comunicação, comentários de consumidores perplexos com a beleza da modelo, tornou-se referência para os diretores de arte. Se a campanha estimulou o consumo consciente de água? Sim. Hoje, pelo menos, cada um que desperdiça água, sabe que está errado, tem consciência de que está sendo socialmente irresponsável. Pontos pra Gisele, pra Grendene, pra W, pra propaganda boa e pro Planeta, também.

Esta campanha selou o compromisso social da modelo-cidadã Gisele. Dentre os temas mais importantes da atualidade sobre preservação ambiental (aquecimento global, emissão de carbono e escassez de água), Gisele engajou-se no terceiro.

quinta-feira, 19 de março de 2009

MODA E PODER: YES SHE CAN


She's the boss. Assim se referem os veículos de comunicação quando se trata da primeira-dama americana Michelle Obama. Forte, profissional bem-sucedida, articulada e chique, muito chique. O figurino de Michelle revela sua personalidade, seu poder de decisão. Enquanto estilistas do mundo inteiro estavam a sua disposição, a primeira-dama enfrentou os holofotes na posse de Barack Obama com criações de estilistas pouco conhecidos. Jason Wu, Thakoon, Peter Sononen são alguns dos estilistas favoritos de Michelle, famosos agora graças a ela. Algumas pessoas lançam moda, outras apenas seguem, submetem-se. Michelle pertence ao primeiro time, porque pauta suas escolhas na própria liberdade. A mesma liberdade com que afirma: "O que me define é o que eu faço na minha vida pessoal. Minha carreira é uma das muitas coisas importantes para mim, mas sou mãe acima de tudo." Michelle parece não temer o olhar alheio e em sua autenticidade assume para si o papel da mulher contemporânea, em atitudes que revelam a nova austeridade. Nas entrelinhas do seu "discurso", lemos: se ela pode - YES WE CAN.

quarta-feira, 18 de março de 2009

segunda-feira, 16 de março de 2009

BUY (RED) SAVE LIVES




Produtos RED é uma iniciativa do ativista Bono Vox para gerar recursos para o Fundo Global, contra a propagação da aids na África (especialmente crianças e mulheres), além da tuberculose e malária, "a pior crise sanitária em 600 anos", segundo o cantor.

Uma idéia é simples: consumidores, sem nenhum custo adicional, compram um produto "vermelho" e a empresa "vermelha" destina uma pequena parte dos lucros para a compra e distribuição de remédios e anti-retrovirais para a África.

No site da campanha Red (www.joinred.com), Bono explica: "como consumidores do primeiro mundo, temos um tremendo poder. O que decidimos comprar ou não de maneira coletiva pode mudar a vida e o curso da história de nosso planeta". O manifesto da campanha reforça a idéia de que a Red não é caridade, mas um modelo de negócio.

A idéia de Bono e Bobby Shriver, presidente do Data, lançada no Fórum Mundial de Davos, na Suíça, já rendeu milhões de dólares através de grandes marcas como Apple, Motorola, Spring e Gap que 'pintaram' seus produtos de vermelho e destinaram um percentual das vendas para o Fundo Global.

A edição especial do iPod da Apple na cor vermelha destinou US$ 10 de cada unidade vendida para a campanha,a marca de roupas GAP publicou anúncios com estrelas do cinema e da música vestidas com sua coleção "vermelha", criada para colaborar na luta contra a pandemia. A Motorola e a Sprint também criaram uma edição limitada de seu telefone estrela, o RAZR e o American Express tingiu de RED seu famoso cartão verde.

"The message across the world is: if you buy one thing this month, buy RED"

sábado, 14 de março de 2009

GENIO INDOMAVEL


Kahney não consegue desvendar a mente de Steve Jobs, co-fundador e presidente da Apple, uma das marcas mais poderosas do mundo. É difícil penetrar na mente de um visionário, a mente de um gênio é indevassável, até pra ele mesmo. O livro A cabeça de Steve Jobs, no entanto, é uma boa leitura, porque compartilha com o mundo lições relevantes de Jobs. A mais importante delas é a importância da publicidade e da imagem na construção de uma marca. Steve Jobs parece caminhar sozinho no mundo dos negócios: não pergunta para o consumidor o que ele quer, apenas propõe, ou melhor, impõe, porque sabe que design e excelência é tudo que seus fiéis consumidores esperam de um produto Mac.
E as lições não páram: que menos sempre foi mais; que a sofisticação está no todo e em cada uma das partes; que a embalagem é parte da comunicação (como o brilhante no interior de um anel, não importa se ninguém verá, é pra você, só isso importa). Essa comunicação que eleva o consumidor à categoria de único ou que o remete a um clube de vagas limitadas, é o que a Apple propõe a seus usuários. Um clube sem penetras, sem vírus. E mesmo que a regra agora seja popularizar, Jobs não baixa o nível do produto. Para a Apple de Jobs, popularizar significa ampliar mercados, convidar aqueles que nunca se sentiram parte a pensarem diferente, a saberem que agora também podem. Na verdade, sempre puderam só não sabiam disso.

sexta-feira, 13 de março de 2009

PAPO DE MULHER



A redação desse filme é boa, consegue reproduzir o diálogo de duas amigas, o papo de uma mulher com outra que poderia ser eu, você, sua namorada, sua irmã. O bom texto publicitário é o que parece não escrito, que gera identificação espontânea, como se não tivesse sido pensado palavra por palavra. Essa é mimesis aristotélica na voz de duas atrizes globais, falando de "mulher pra mulher", para milhões de mulheres uma única mensagem: a Marisa entende a alma feminina.

quinta-feira, 12 de março de 2009

AS FAVORITAS


Há algum tempo as capas, editoriais de moda e campanhas publicitárias favoritas trazem algo em comum, a assinatura do diretor de arte Giovanni Bianco.

quarta-feira, 11 de março de 2009

CULTURA DA CONVERGÊNCIA



Harry Potter, Lost, Matrix são exemplos da Cultura de Convergência. Nesse tipo de cultura, não apenas os criadores e produtores, mas o consumidor/espectador participa da produção e difusão do conteúdo. A série Lost - mais famosa série de TV da década -já nasceu transmidiática, sendo simultaneamente game, livro, episódio de celular. Os 'espectadores' de Lost antecipam episódios na Internet, partipam de fóruns e os chamados fan-fictions mudam desfechos, escrevem e produzem seus próprios episódios, obrigando a indústria do entretenimento a repensar a questão autoral.

A campanha presidencial de Barack Obama trabalhou com o marketing de convergência, colocou o candidato em games, no twitter e no Second Life> O site oficial convocava os eleitores a enviar propostas através de fóruns. E mesmo depois de eleito, a miríade de mídias em torno de Obama não pára. A Edição do "Homem-Aranha" com Barack Obama na capa é a mais vendida do século 21, com vendas que ultrapassaram a marca de 350 mil unidades.

O fato é que a cultura em torno das novas tecnologias está nos mudando, estimulando uma cultura mais participativa, em que não aceitamos ser meros consumidores, apenas receber informações, agora que descobrimos que podemos consumir, produzir e participar.

terça-feira, 10 de março de 2009

sexta-feira, 6 de março de 2009

quinta-feira, 5 de março de 2009

ELLE (LA BUNDCHEN) É DO BEM



"Eu cresci num país gravemente afetado pela pobreza. O sofrimento não é uma coisa abstrata para mim, eu sempre disse a mim mesma que, se pudesse, faria, definitivamente, alguma coisa para ajudar... E eu vou!"

Os leitores da revista espanhola DT Magazine elegeram Gisele Bundchen a mulher mais desejada do planeta. Gisele, no entanto, parece mais preocupada com o Planeta do que com o título de sexy.

Gisele participa em todo o mundo de campanhas pela preservação do meio ambiente, procura associar cada vez mais sua imagem a produtos fabricados com material ecologicamente corretos, transformou seu site oficial numa espécie de tribuna eletrônica sobre questões ambientais, direciona parte das vendas das sandálias Ipanema Gisele Bundchen para o projeto Y Ikatu Xingu e estuda com a Grendene a possibilidade das próximas sandálias serem fabricadas com plástico verde (à base de cana-de-açúcar) e não mais o PVC que é de origem fóssil.



No início de 2009, Gisele aparece usando produtos RED na capa e editorial de 30 edições da revista ELLE, tentando sensibilizar os 20 milhões de leitores da revista a comprar produtos do Projeto RED que tem objetivo de gerar um fluxo sustentável de dinheiro do setor privado para o Fundo Global de Combate à aids, tuberculose e malária,no continente africano.

Afinal, 'buy and help others at the same time - why deny yourself the pleasure?'

terça-feira, 3 de março de 2009

INFORMAÇAO COMPARTILHADA

A turma de planejamento da W/Brasil criou um grupo de estudos que analisa diferentes categorias de produtos. O grupo se chama Watts e este é parte do relatório que analisa a categoria alimentos, mais precisamente Innocent Drinks, Ecochique Green & Blacks, o velho Doritos, a gordurosa maionese Hellman's e o aparentemente sem graça Weetabix. São informações simples, mas curiosas, que abrem o apetite de publicitários, clientes e consumidores. E informação é ingrediente indispensável para quem trabalha com comunicação. Bon appetit:

segunda-feira, 2 de março de 2009

Neil Gaiman formando bons leitores com Coraline, um romance para criancas de todas as idades




Os comics books de Neil Gaiman mergulha-nos num universo onírico e estético, onde cada página é uma obra-prima em si mesma. Criador de uma narrativa sofisticada, Gaiman é autor de Saindman, personagem antológico da literatura mundial, baseado na figura mitológica de Morpheus e seus irmãos - Morte, Destino, Delírio, Desejo, Desespero e Destruição.


SAINDMAN


Em Coraline, invertendo a lógica de Lewis Carroll - que escreveu uma história de crianças para adultos - Gaiman cria uma narrativa para crianças que nenhum leitor adulto pode desprezar. E se a protagonista do País das Maravilhas mergulha num poço profundo para perguntar onde estamos? Coraline coloca o espelho de Alice diante de nós questionando em que estamos tão ocupados pra deixar nossas crianças lidarem sozinhas com o terror do mundo adulto. No novo lar de Coraline falta o mesmo que a maioria dos lares: a atenção de seus pais.

Coraline ao abrir uma porta para o quarto andar deve inspirar uma nova geração de leitores de Gaiman e quem sabe, soprar areia nos nossos olhos para 'acordamos' para a criança que por tão pouco tempo tomamos de conta, antes que ela vire um adulto.



domingo, 1 de março de 2009

LOVE MAGAZINE



A Beth Ditto na capa da Love Magazine seria uma ode a Renoir se não tivesse um ar tão pop, tão cool quanto a própria vocalista do The Gossip.

"SAVE YOUR LOGO"



Save You Logo é uma daquelas idéias que fazem realmente toda a diferença. Criada pela Global Environment Facility a campanha tem como objetivo tentar salvar animais ameados de extinção, o que corresponde a 38% dos animais planeta, sendo necessários de 2 a 5 milhões de dólares para salvar uma única espécie.

Grifes que têm animais em sua logo foram convidadas a contribuir financeiramente com o projeto e em contrapartida promoverem ainda mais suas marcas, atrelando-as a uma boa causa: a biodiversidade. Save Your Logo conta com a adesão de grandes marcas como Peugeot, Puma, Jaguar, Maaf e Esso. A Lacoste saiu na frente com a campanha pela preservação de ninguém menos que crocodilos e jacarés, numa alusão direta a sua logo.

A idéia é mesmo essa, que cada marca contribua para a preservação de seu "animal": a Abercrombie & Fitch - veados, a Puma - pumas, Peugeot - os leões e a Jaguar - os jaguares. E o projeto quer ainda mais: que estados e países que têm animais em seus brasões ou bandeiras também participem da campanha.


* O Projeto Save Your Logo é apoiado pelo World Bank e pelo International Union for Conservation of Nature