sábado, 4 de abril de 2009

Nova austeridade?




Depois de décadas de excesso, a grande corrente é a nova austeridade. Um estilo de vida que recupera o conceito de "menos é mais" e o agrega a um consumo consciente. A nova austeridade reflete o pensamento de uma elite de consumidores que demonstra aversão ao exagero, à ostentação e aos signos de status. Hebe Camargo, a maior apresentadora do Brasil (diga-se de passagem), parece ignorar esse novo paradigma mundial e celebra os seus bem vividos 80 anos com a cara dos velhos tempos. Embora pareça paradoxal que Ronaldo tenha sido execrado pelos exageros no seu casamento com Cicarelli num castelo na França,enquanto Hebe celebra de maneira ostensiva os seus múltiplos aniversários. Vale salientar que o público do Fenômeno, embaixador da ONU, espera dele uma postura exemplar, discreta, austera. O público da Hebe, no entanto, além de não corresponder a elite que abraça os preceitos da nova austeridade, realiza-se através da apresentadora. Com ela, "os plebeus" divertem-se, esbanjam diamantes, rubis, esmeraldas; levam 80 amigos para a Disney; falam o que querem e pensam depois; numa processo de empatia televisiva que dura anos a serviço de uma catarse popular. A Hebe, personagem histriônico, figura piotoresca, quase alegórica, também (por motivos outros) está a serviço da outra elite que se diverte com ela.

2 comentários:

tereza disse...

Valeu, texto massa. Me sinto como se tivesse assistido uma aula. Das boas.

Anônimo disse...

Professora querida, tô com saudades das suas aulas. Redação 2 tá um inferno. Adorei essa análise, me fez voltar no tempo. Não vou assinar. Beijos